Nosso corpo é formado por uma infinidade de células, e cada uma delas possui uma função, ajudando a formar o corpo, curar doenças, fortalecer e nutrir tecidos, e tantas outras necessidades que geralmente temos.

As células tronco, no entanto, não é qualquer tipo de célula, e ela carrega uma importância muito grande, que estimula constantes pesquisas, tratamentos e formas de se conseguir utilizar todo o seu potencial.

Muitas das doenças da atualidade e consideradas há pouco tempo como incuráveis começaram a responder positivamente para um trabalho feito com células tronco, e por isso é muito importante considerar a sua utilidade e principalmente sua aplicação nos tratamentos.

Mesmo assim pouco ainda se sabe se comparado com as possibilidades que as células tronco oferecem como tratamentos e ações como um todo, o que abre espaço para muitas pesquisas que são desenvolvidas o tempo inteiro.

Vou trazer aqui todas as informações relevantes sobre essas células especiais e que trazem um tipo de alívio para o tratamento de inúmeras condições que pareçam até mesmo impossíveis de serem tratadas.

 O que são Células Tronco

células tronco

 As células tronco são muito especiais, começando pelo fato de onde são encontradas: geralmente ainda na fase embrionária, e em alguns casos até mesmo no cordão umbilical, logo após o nascimento da criança.

Elas não passam pelo processo de diferenciação, que é quando ela toma a sua função no organismo e passa a ser uma célula específica para algum órgão, ou mesmo para algum tipo de processo em geral.

Por isso elas são indiferenciadas, podendo assumir qualquer função e ser utilizada em qualquer tipo de tecido, e por este motivo são tão especiais e importantes para diversos tratamentos que podem ser necessários.

Na prática elas podem substituir um grupo de células, restaurar tecidos de forma mais rápida, e até mesmo desenvolver um tipo de tratamento mais de acordo com o que você de fato precisa, seja em qualquer intervenção a ser feita.

Por este motivo é que elas são tão preciosas, já que podem ser a chave para tratamentos mais eficazes e menos invasivos, restaurando a saúde de quem utiliza e devolvendo a qualidade de vida dessas pessoas.

Para que servem

 As células tronco podem fazer parte de tratamentos complexos como câncer, que é geralmente o principal foco para esse tipo de tratamento, o que traz também algumas possibilidades para lidar com essa ferramenta tão importante.

Mas elas podem servir para tratamentos de restauração da córnea, por exemplo, ou mesmo para transplante de medula óssea, dando um tipo de estrutura muito mais de acordo com o que você precisa e com o que de fato para esse tipo de condução e tratamento.

Outra doença que pode ser tratada facilmente com células tronco é a fibrose cística, que acomete a muitas pessoas, dificultando a respiração. Nesse tratamento elas produzem células saudáveis e que impedem o avanço da doença.

Pesquisas estão sendo desenvolvidas em prol de um tratamento mais avançado do mal de parkinson, o que já oferece alguns resultados, principalmente tendo em vista que você pode trabalhar com algo efetivo e que já traz alguns bons resultados.

Outras tantas formas de tratamento podem ser possíveis através do investimento das células tronco e em pesquisas que possam trazer um tipo de resultado de acordo com o que você de fato espera.

Onde encontrar

 Encontrar células tronco é algo muito importante para o andamento de pesquisas, e é o ponto chave essencial para que se consiga trabalhar com bom resultados, e algo que você pode de fato esperar.

Isso depende diretamente do tipo de célula tronco, o que vai definir o local onde pode ser encontrada, e por isso é importante avaliar de que maneira é possível encontrar as células para os tratamentos e pesquisas.

Como já foi dito, ela pode ser encontrada no embrião, cuja formação ainda não foi completada e por isso possui um grande número de células tronco, e também no cordão umbilical, que concentra ainda uma quantidade interessante.

Outra forma de encontrar é na medula óssea, mas essa é geralmente ligada a células sanguíneas, os glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas, e é voltada para o tratamento de quem precisa de uma substituição de medula, demandando esse cuidado.

 Quais os tipos

 Como já foi dito, existem tipos de células tronco, e isso afeta diretamente o local onde são encontradas e principalmente qual o tipo de pesquisa pode ser feita através desse tipo de recolhimento que é tão importante.

Elas se dividem entre as embrionárias, as adultas e as induzidas, com características muito próprias e com comportamentos também únicos, já que elas possuem fontes diferentes, e dessa maneira resultados diferentes.

A seguir vou falar detalhadamente sobre cada um dos tipos e de que maneira é possível absorver o máximo de benefícios que são oferecidos e que podem também trazer todos os seus benefícios de maneira ampla.

Células tronco embrionárias

 As células tronco embrionárias são as mais conhecidas. Conhecidas também como pluripotentes podem se tornar qualquer célula, o que traz uma possibilidade muito maior para tratamentos e pesquisas.

Elas são as células ainda indiferenciadas, e ao serem introduzidas em um local do corpo podem produzir novos corpos celulares para este corpo, e por isso também é possível entender como isso é de fato possível.

Porém, ela é encontrada em embriões em até 5 dias depois da fecundação, o que torna o seu acesso algo muito delicado, e até mesmo motivo de muitas discussões no meio científico, ainda que já se conseguiu avançar bastante nessa questão.

Depois do 5° dia o embrião já começa a montar estruturas mais complexas, como formação do coração, do sistema nervoso, e isso significa que as células tronco já se especializaram e tomaram a sua função.

Por isso é um tipo de célula tronco que todos os cientistas visam, já que é uma maneira mais eficaz de conseguir trabalhar com tais informações e também com tratamentos mais complexos através de um acesso mais simples e prático.

 Células tronco adultas

 As células tronco adultas, são células que estão presente no nosso corpo, mas ao contrário da anterior, são multipotentes, o que significa que elas assumem função dentro do tecido onde se encontram.

Por exemplo, as células tronco presentes na medula óssea só possuem ações dentro desse tipo de recorte, ou seja podendo se tornar qualquer célula sanguínea, tendo um campo mais limitado.

Em todo o nosso corpo possuímos células tronco adultas, no cérebro, no sangue, e em muitos outros tecidos, e isso serve para que se tenha uma substituição natural ao longo da vida, sem que você tenha algum déficit nesse sentido.

A partir disso é preciso que você saiba como ter acesso às mesmas, não sendo algo relativamente fácil, mas possível, e que também acaba gerando muitos dos tratamentos que temos hoje com células tronco.

Elas são encontradas também no cordão umbilical, e são fontes de diversas pesquisas para que se aproveite todo o seu benefício a fim de ter possibilidades de outros diversos tratamentos de muitas doenças.

Células tronco induzidas

 Por fim, as células tronco induzidas são as que possuem descobertas mais recentes, e datam de meados de 2007, tendo sua principal origem ainda na pele, com um processo bastante complexo.

Normalmente é utilizada para reprogramação celular, ou seja, um processo em que você precisa inserir 1 vírus com 4 genes específicos na célula para que elas possam se reprogramar e voltar ao seu estágio inicial, de células tronco.

Por isso o resultado alcançado pode ser favorável ao que você se propõe, e geralmente pode também trazer alguns pontos para outras tantas pesquisas, ainda que se tenha um limite de tais células, sendo conhecidas como multicelulares.

Ainda assim acabam sendo úteis para fazer reparações celulares em vários órgãos, assim como qualquer um deles pode também ser alvo desse tipo de intervenção para se conseguir induzir a reprogramação para células tronco.

Esses são os principais tipos de células tronco, e também as indicações dos principais lugares onde podem ser encontrados, de modo que você consiga dentre outras coisas acessar a seus benefícios e dar andamento a tratamentos importantes.

Qual a sua utilidade

Em termos gerais as células tronco podem se transformar em qualquer uma, desde as mais específicas, como no caso da medula óssea até as mais complexas, como é o caso das células tronco embrionárias.

Isso diz respeito também à renovação celular que é importante para os casos de doenças mais graves, que exigem uma intervenção muito mais específica e que também deve um tipo de atenção de acordo com alguns tratamentos menos invasivos.

Em tratamentos como câncer, por exemplo, a administração de medicamentos é muito desgastante para o paciente, e também algo que pode durar muito tempo sem resultados tão expressivos.

Assim como outras doenças mais graves, a utilização de células tronco é uma alternativa para diminuir consideravelmente o tempo de tratamento, assim como é uma forma de aliviar os efeitos colaterais das outras intervenções.

A sua utilização portanto é fundamental e vital para algumas condições as quais necessita de uma atenção maior, e de acordo também com alguns pontos que podem ser úteis nesse sentido.

Por que são tão importantes

 Como já foi dito, o tratamento com células tronco é uma alternativa muito pertinente de uma menor intervenção frente a um quadro mais avançado e que necessita de um tratamento eficaz, que ofereça bons resultados.

Saber manipular, conseguir acessar a todos os seus benefícios é o que a ciência está tentando exaustivamente, já que isso pode significar um importante passo para diversos tratamentos que podem ser feitos.

Isso também pode conduzir para novas pesquisas ou novas descobertas que de fato tragam algumas possibilidades de como trabalhar e tratar raras doenças que ainda não possuem algo efetivo para tratamento.

Como se colhe células tronco

como escolher

Existem algumas formas diferentes de se colher as células tronco, e isso depende diretamente de como você avalia e principalmente qual o tipo de célula que vai ser colhida, o que possui uma mudança significativa.

Para colher as células tronco umbilicais é preciso que a gestação tenha pelo menos 32 semanas, e a mãe não tenha nenhuma complicação na hora do parto, ainda que o procedimento não seja invasivo nem incômodo.

É tirado o sangue do cordão umbilical assim que é cortado, geralmente na parte próximo à placenta, onde se encontra a maior possibilidade e principalmente todos os benefícios que você de fato precisa para acessar as células.

Para a retirada de células tronco embrionárias geralmente é feito o processo todo em laboratório, desde a fecundação até a retirada das células, o que é normalmente alvo de muitas críticas no meio científico por conta dos protocolos utilizados.

Esses processos são muito importantes para que se tenha acesso de fato a tais benefícios e para que também você possa ter as células à sua disposição, o que vai fazer toda a diferença de uma maneira mais ampla.

Como se armazena

Apesar de parecer um protocolo simples, para que se consiga armazenar corretamente as células tronco, um laboratório especializado precisa ser comunicado sobre a sua retirada, por exemplo, em um parto.

Assim eles se organizam para a coleta e também para todo o processo posterior, que dá conta de uma análise criteriosa das células, a fim de determinar se há algum tipo de contaminação por vírus ou bactérias ou mesmo se possui uma quantidade ideal de células tronco.

A técnica para preservar as células se chama criopreservação, que diz respeito a uma diminuição lenta da temperatura até que chegue a 196° negativos armazenados em nitrogênio líquido, o que dá uma possibilidade interessante de preservação.

Com essa técnica a qualidade e potencialidade das células tronco podem permanecer intactas por anos, e podem ser utilizadas futuramente para mais pesquisas ou mesmo para intervenções e terapias.

Todo esse processo é muito complexo e por este motivo existem laboratórios que são especializados no assunto e que geralmente dão conta da coleta e da preservação, para que seja feita corretamente.

O que já se sabe sobre

Muitas pesquisas já estão em andamento, e todas elas apontam para as células tronco como sendo a nova modalidade de tratamento disponível para uma série de doenças, em algo conhecido como terapia celular.

Ao todo 80 doenças podem ser curadas com as células tronco, e isso se dá principalmente por que elas podem se diferenciar e se tornar qualquer uma célula, fazendo uma renovação que muitas vezes é necessária.

Em muitas doenças, inclusive as autoimunes, as células doentes precisam ser extintas e novas células devem tomar o seu lugar, para que essa renovação traga uma melhor qualidade de vida e a eliminação da doenças e dos sintomas.

Muitos avanços já foram possíveis pelo fato de conseguir acessar as células tronco adultas e as induzidas, de modo que você possa ter um leque de opções e que possam trazer o tipo de intervenção que a ciência espera para avançar em diversos setores.

Outras pesquisas também podem apontar para novos panoramas, e isso pode abrir espaços para novas intervenções e principalmente para novas formas de conseguir pensar e explorar todos os benefícios possíveis.

Principais pesquisas envolvendo células tronco

Existem muitas pesquisas envolvendo células tronco, desde tratamentos de câncer, como já foi amplamente falado aqui, mas também para recuperação de nervos, algo que é muito importante e buscado por vários cientistas.

Muitos acidentes deixam algumas sequelas, ou mesmo algumas doenças acabam limitando movimentos, e a utilização de células tronco nesse contexto serve para que a pessoa possa recuperar o seu movimento.

Além disso o nervo ótico também é foco do tratamento por células tronco, de modo que uma limitação visual possa ser revertida e traga a possibilidade de enxergar de novo, algo que muitas pessoas ainda não sabem de que forma intervir efetivamente.

Normalmente essas pesquisas levam anos para que sejam de fato reconhecidas e para que tenham resultados que são esperados, e por este motivo é preciso que leve um certo tempo até que seja possível obter todas as respostas efetivamente.

Por este motivo é que a ciência vai caminhando em passos vagarosos, mas que são muito promissores, principalmente a longo prazo, considerando possibilidades de obter todos os ganhos possíveis nesse contexto.

 Quais são as limitações no momento

 O acesso limitado a células tronco embrionárias e o tempo que é necessário para que se ateste a segurança e a efetividade dos tratamentos faz com que o estágio ainda seja inicial, ainda que se tenha avançado e muito com o tempo.

Com o tempo mais pesquisas podem ser feitas e somadas ao que já se tem, o que possibilita acessar a alguns benefícios que possam de fato trabalhar com tratamentos modernos e que sejam os mais recomendados para casos específicos.

Pode-se dizer que a ciência segue o seu fluxo, e depende de conseguir investimentos já que são técnicas bastante avançadas, tanto para se colher quanto para se aplicar os tratamentos e observar como avançam.

Com o que se tem hoje, e com o que é possível acessar, muitos resultados podem ainda ser obtidos, e muitas doenças podem ter o devido tratamento, mais eficaz e menos invasivo, diminuindo dificuldades para tratamento e devolvendo a qualidade de vida.