Ejaculação Precoce O que é – Comum para homens?

>>Ejaculação Precoce O que é – Comum para homens?

Ejaculação precoce o que é e até que ponto é considerado? A ejaculação precoce é um dos problemas sexuais mais comuns do homem, mais até do que a disfunção erétil.

Pode afetar a homens de qualquer idade e 1 em cada 4 homens sabe o que é não ter controle sobre a ejaculação. Segundo investigações publicadas, cerca de 30% dos homens por todo o mundo sofrem os efeitos da ejaculação precoce e, apesar disso, este é ainda um tema tabu na nossa cultura.

A ejaculação precoce define-se como ejaculação persistente ou repetida com um estímulo sexual mínimo antes, durante ou pouco depois da penetração; ou antes que a pessoa o deseje, causando apuros e vergonhas a uma ou a ambas as pessoas, de modo que pode afetar as relações sexuais e o bem-estar global do casal.

Ejaculação precoce o que é causado

ejaculação precoce o que é

A ejaculação precoce é um estado médico frequente e definido que pode afetar seriamente a qualidade da vida, o bem-estar físico e emocional dos casais, comenta James H. Barada, urologista no Centro de Saúde Sexual Masculina em Nova Iorque. Diz ainda: a grande maioria dos homens não se sente confortável a falar deste assunto, tanto com os cônjuges como com os médicos.

A Sociedade de Medicina Sexual da América do Norte (SMSNA) considera que se o estado ajudasse a aumentar a discussão pública sobre a ejaculação precoce se reduziria o estigma associado a esta.

Um grupo de trabalho empreendeu uma revisão da investigação recente e de um estudo representativo da investigação e concluiu que o termo ejaculação precoce era reconhecido universalmente e entendido exatamente pelos homens sofrendo de tal manifestação clínica e pelos seus cônjuges. Concluíram, também, que mudar a designação clínica podia ter o efeito contrário, o que poderia levar a confusões e à necessidade de uma reeducação global. Na investigação que incluía 61 profissionais de saúde, 75 homens que padeciam ejaculação precoce e 48 casais, outros termos que também foram utilizados de vez em quando pelos médicos para descrever esse estado, como «ejaculação rápida», não eram entendidos pelos participantes no estudo.

Da investigação destacam-se os resultados que dizem que o estigma está associado ao estado e não à designação clínica. O grupo de trabalho científico SMSNA recomenda o uso continuado do termo de ejaculação precoce para descrever o estado e, na tentativa de reduzir o estigma ao mínimo, convidaram profissionais médicos para animar o diálogo sobre a saúde sexual e as causas médicas da ejaculação precoce.

Os investigadores também se questionaram por que é que a ejaculação precoce era tão mal considerada tendo em conta que é uma patologia bastante conhecida.

A investigação adicional divulgada por Andrew R. McCullough, da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Cork, sugere que uma das razões possa ser o amplo impacto que a ejaculação precoce tem em muitos aspectos da vida do homem, deixando-lhe sensações de vergonha e de insuficiência. A análise do Dr. McCullough demonstra que os homens com falta de controle sobre a ejaculação tendem a sentirem-se menos satisfeitos com o ato sexual e com a sua relação sexual e que também podem sentir mais dificuldades pelo estado de ansiedade sexual e de excitação quando comparados com quem não tem esse problema.

Na investigação, os homens classificados com provável ejaculação precoce declararam uma falta de controle sobre a ejaculação (50%), satisfação reduzida no ato sexual (23%), pouco interesse no ato sexual (28%) dificuldade em se excitar (34%) e dificuldade em se descontrair durante a cópula (31%). Estes resultados mostram bem o impacto negativo da ejaculação precoce na qualidade de vida, desempenho sexual e desfrute do sexo.

Esta investigação destaca que a saúde sexual masculina abarca menos patologias médicas reconhecidas, além da disfunção erétil, explica o Dr. McCullough. Há maneiras de como não gozar rápido através de suplementos e cremes.

2018-08-13T16:52:35+00:00

Leave A Comment